domingo, 26 de setembro de 2010

Não abandono o que acredito por nada.



Tenho no meu íntimo uma magia
De fazer acontecer
De dar um jeito
De dar o peito
Dar um colo
Faço bem feito...
Toda mulher traz na alma a força dos ventos
O fascínio de um cavalo selvagem
A sensibilidade de uma flor
Que sente, pressente, intui
Se abre no momento certo
E exala seu perfume.
E galopa contra o vento
Enfrenta tormentas
Carrega consigo suas mágoas
E as dissipa no ar...
Tenho a alma leve
Apaixonada
Não abandono o que acredito por nada.
Tenho medo, Tenho asas
Prezo a liberdade
Divido com aquele que acredito
minha vida, meu amor e minha alma.
*

Um comentário:

Otilio disse...

Olála !!!

Jogue fóra tão somente as magoas.
Elas estão tomando um lugar em seu
coração, mente e sentimentos,cujo
lugar já tem dono, que é o seu ser DIVINO, consciente e até teimoso.
Também sou assim; gosto de ser assim, e quero que todos saibam que sou assim.
Não desista nunca
Beijão em sua alma
Bezerra