domingo, 28 de março de 2010

hei man


*



Guarde todas as margaridas, eu não estou morta
Vá dizer ao mundo que eu ainda estou aqui
Eu não voei, estou descendo
Você é o vento, o único som
Sussurre para meu coração
Quando a esperança estiver acabada
E ninguém puder me salvar
Eu caminho sozinha
Cada passo que dou
Minha tempestade nunca acaba
Quando caminho sozinha
Voltei a dormir para sempre
Bem longe dos tolos e tranquei a porta
Eles estão aí e eles terão certeza
Que você não tem que ver
O que eu acabei me tornando
caminho sozinha
Cada passo que dou
Estou sempre sozinha ...

*


Um comentário:

Adh2bs disse...

Nunca estás sozinha,
tua poesia te acompanha;
cai do alto, te ilumina e banha
qual orvalho assim, de manhãzinha...

Abçs,
Adh2bs