domingo, 21 de março de 2010

Experimente me amar!






**

Hei me visite
Entre com delicadeza
Mas não tão devagar que me faça dormir
Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar
Acredite nas verdades que digo
E também nas mentiras, elas serão raras e sempre pôr uma boa causa.
Respeite meu choro
Me deixe sozinha
E não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada
Não se vista tão bem...
Gosto de camisa para fora da calça,
Gosto de braços,..
Leia, escolha seus próprios livros.
Odeie a vida doméstica e os agitos noturnos.
Seja um pouco caseiro e um pouco da vida
Não goste tanto de boate que isto é coisa de gente triste.
Não seja escravo da televisão, .
Nem escravo meu
Nem meu pai.
Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente
Me enlouqueça uma vez pôr mês
Mas me faça uma louca boa
Uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ...
Goste de música e de sexo
Das mais ridículas.
Goste de um esporte não muito banal
Deixa eu dirigir o seu carro, que você adora
Quero ver você nervoso inquieto
Olhe para outras mulheres.
Me conte seus segredos ...
Me faça massagem nas costas.
Não fume
Beba
Chore
Eleja algumas contravenções.
Me rapte!
Se nada disso funcionar ...
Experimente me amar!

**




·♥

Um comentário:

Otilio disse...

EXPERIMENTE TE AMAR; ou melhor, AME-A loucamente, e em seguida MORRA DE CIUMES.

Gosto de seus escritos poeticos e
excrachados.
Muito bons; mexe comigo.
Beijos em sua alma